Dia 33 – Vestir a Armadura de Deus Para Vencer os Inimigos

“São Miguel Arcanjo, espalhai vosso manto e vosso escudo de proteção em nossos lares. Guardai nossos trabalhos e nossos negócios. Trazei a paz e a harmonia para nossa cidade. Fazei que humildemente nos aproximemos do Deus justo e santo. Amém!”

(Fonte: Quaresma de São Miguel Arcanjo 2020 – Ed. Paulus)

O tempo inteiro enquanto estivermos neste mundo vamos precisar lutar para não vivermos de mentiras (viver no pecado é viver de mentira e na mentira), para vivermos em Estado de Graça e preservarmos nosso estado de Amizade com Deus.

Basta olharmos com sinceridade para nós mesmos, para notarmos como sozinhos não damos conta de vencermos as lutas contras os 3 inimigos da alma, a saber: Carne (nós mesmos), o Mundo e o demônio. Não é difícil também notar o quanto nos maltratamos por pequenos momentos de prazer, que, quando passados tais momentos, fica no mínimo um vazio. Se costumamos estar em Estado de Graça e caímos na tentação, ou seja, perdemos a luta, além do vazio aparece um remorso e um temor intensos. Considero, inclusive, esses sentimentos uma enorme graça para podermos voltar para Deus, considero que é Deus nos chamado de volta para Ele.

A luta contra esses 3 inimigos é encarniçada, é duríssima. Nós somos muito mais fracos do que nossos inimigos. Somente com “reforços” poderemos “bater de frente”. Mas, alegrai-vos!! Com a Graça de Deus nos tornamos muito mais fortes do que todos os nossos inimigos juntos! Mas, precisamos antes de qualquer coisa querermos estar em Estado de Amizade com Deus e, querendo, vamos precisar nos humilharmos diante de Deus para nos esvaziar de toda soberba, toda vaidade, todos os vícios que dão origem, inclusive, às discórdias mundanas.

Por isso que afirmamos que só haverá verdadeira paz no mundo quando todos tiverem vencido todos os vícios. Então, vamos começar combatendo os nossos maus hábitos (vícios) para que, humilhados, cheguemos ao Altíssimo pedindo misericórdia.

São Tiago, em sua carta, desnuda toda essa realidade para nós:

“De onde vêm as guerras? De onde vêm as brigas entre vós? Não vêm, precisamente, das paixões que estão em conflito dentro de vós? Cobiçais, mas não conseguis ter. Matais, fomentais a inveja, mas não conseguis êxito. Brigais e fazeis guerras, mas não conseguis possuir. E a razão por que não possuís está em que não pedis. Pedis, sim, mas não recebeis, porque pedis mal. Pois o que pedis, só quereis esbanjá-lo nos vossos prazeres. Adúlteros, não sabeis que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Assim, todo aquele que pretende ser amigo do mundo torna-se inimigo de Deus. Ou julgais ser em vão o que as Escrituras diz: ‘Com zelo nos ama o Espírito que em nós habita’? Mas ele nos dá uma graça maior. Por isso a escritura diz: ‘Deus resiste aos soberbos, mas concede graça aos humildes’. Submetei-vos pois a Deus, mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Aproximai-vos de Deus e ele se aproximará de vós. Limpai as mãos, ó pecadores, e purificai os corações, homens ambíguos. Entristecei-vos, vesti o luto e chorai. Transforme-se em luto o vosso riso, e a vossa alegria, em desalento. Humilhai-vos diante do Senhor, e ele vos exaltará.” (Tg 4, 1-10)

Ao decidir abandonar todos os vícios, a luta não para. Pelo contrário, muitas vezes até piora pois satanás não suporta que nós, criaturas, consigamos vencê-lo nas batalhas. E não conseguiremos mesmo! Se não tivermos a Graça de Deus perderemos sempre.

Então, como estar sempre na Graça de Deus para suportarmos cada vez mais ataques em número e intensidade?

São Paulo em sua Carta aos Efésios nos diz:

“Enfim, fortalecei-vos no Senhor, no poder de sua força; revesti-vos da armadura de Deus, para que possais resistir às ciladas do diabo. Com efeito, a nossa luta não é contra o sangue e a carne, mas contra os principados, as potestades, os dominadores deste mundo tenebroso, os espíritos malignos espalhados pelo espaço. Por isso, revesti-vos com a armadura de Deus, a fim de que possais resistir no dia mau e permanecer firmes depois de tendes superado toda prova. Ficai, pois, firmes, tendo a verdade como cinturão, a justiça como couraça e os pés calcados na prontidão do evangelho da paz. Em todas as circunstâncias, empunhai o escudo da fé, com o qual podereis apagar todas as flechas incendiadas do maligno. Ponde o capacete da salvação e empunhai a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus. Com toda sorte de preces e súplicas, orai constantemente no Espírito. Prestai vigilante atenção neste ponto, intercedendo por todos os santos.” (Ef 6, 10-18)

Nossas armas (de ataque e defesa) são, como diz São Paulo: Verdade, Justiça, Paz, Fé e Palavra de Deus.

Buscar sinceramente a Verdade já nos coloca em oposição ao demônio, pai da mentira. Ser justo nos aproxima de Deus, atrai os Espírito Santo. O Espírito derrama em nós todos os dons e seus frutos com destaque, sem desprezar os demais, ao Espírito da Paz para não atrairmos a ira desnecessária até nós, embora isso seja muitas vezes inevitável. A Fé nos blindará dos engodos do mundo, pois buscando a Verdade com Fé em Jesus, a encontraremos e estaremos alicerçados na rocha firme. E, no combate, recorramos sempre à Palavra de Deus, ou seja, ao próprio Jesus Cristo. Recorramos sempre às sagradas Escrituras para termos bem forte, na ponta da língua, o Espírito Santo.

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate e nos dê cobertura para que possamos Vestir a Armadura de Deus Para Vencer os Inimigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *