Dia 20 – O Poder do Nome de Jesus Cristo

“São Miguel Arcanjo, não nos deixeis emudecer diante das ciladas do inimigo. Vós que, no combate celeste, vencestes Satanás, ajudai-nos em nossa batalha espiritual de cada dia. Ajudai-nos a proclamar, com voz forte, o santo nome de Jesus. Amém!”

(Fonte: Quaresma de São Miguel Arcanjo 2020 – Ed. Paulus)

Até aqui já falamos bastante da necessidade que temos de saber exatamente o que somos, de nos colocarmos no nosso lugar de criatura, de total dependência de Deus e como precisamos uns dos outros. Tudo isso em relação a nós, tudo que devemos fazer, toda decisão que devemos tomar, deve ser Com Cristo, Por Cristo e Em Cristo.

Mas, quem é Cristo para nós? Qual o poder Dele? Por que devemos fazer tudo em Seu Santíssimo Nome? E o que é fazer tudo em Seu Nome?

A resposta da primeira pergunta deveria ser suficiente e responde todas as demais perguntas: Jesus Cristo é Deus, o próprio Deus encarnado e, como Deus, é Onisciente, Onipresente e Onipotente. Mas, de fato, é bastante difícil reconhecer que Jesus é o próprio Deus que se fez carne. Somente é possível crer verdadeiramente nisso com os olhos da Fé e com a ação do Pai em nós através do Espírito Santo. Por isso que Jesus exaltou de alegria com a confissão de Fé de São Pedro quando foi perguntado aos discípulos quem eles acham que Jesus é.

“Jesus foi a região de Cesareia de Filipe e ali perguntou aos seus discípulos: ‘Quem dizem o homens ser o Filho do Homem’? Eles responderam: ‘Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros, que é Jeremias ou um dos profetas’. Então disse-lhes: ‘E vós, quem dizeis que eu sou’? Simão Pedro respondeu: ‘Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo’. Jesus então declarou: ‘Bem-aventurado és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne e o sangue que te revelaram isso, mas meu Pai que está nos céus”. (Mt 16, 13-17)

As pessoas longe de Cristo têm bastante dificuldade de conhecer verdadeiramente Jesus. Para conhece-Lo, é preciso estar sempre próximo Dele e, na medida que vamos passando mais tempo com Ele e temos mais intimidade com Ele, mais profundamente reconheceremos quem Ele é.

No dizer dos homens, do povo, Jesus é um mero ser humano, um homem virtuoso e, talvez, com poderes sobrenaturais, mas para o povo Jesus é apenas um homem. Já para os discípulos, que seguiam Jesus e buscavam a Verdade, Jesus, Deus, foi se fazendo conhecer cada vez mais profundamente. “… não foi a carne e o sangue que te revelaram isso, mas meu Pai que está nos céus”, ou seja, não foi pela razão humana que Deus se fez conhecer. Somente pela razão (carne e sangue) é impossível reconhecer Jesus como Deus, entender a Santíssima Trindade, ou seja, saber quem é verdadeiramente Jesus.

É preciso que Deus se revele para poder reconhecer Jesus como o próprio Deus, como o Filho de Deus que é o Deus Eterno e Todo Poderoso. Um único Deus em três pessoas. É em cima dessa Fé que somos salvos, reconhecendo Jesus como Deus, pois somente o próprio Deus pode nos salvar. Só seremos salvos na Fé de Pedro, ter Fé na rocha firme, a Fé revelada através do Espírito Santo. O Espírito precisa agir em nós para que possamos compreender e, para Ele agir em nós e assim possamos reconhecer Cristo como Deus, é preciso que nos abramos à Sua Ação, é preciso que estejamos abertos a Ação do Espírito Santo.

Através da ação do Espírito Santo reconheceremos Jesus Cristo e assim cresceremos na intimidade com Ele, nos configurando a Ele. Configurados a Ele poderemos falar em Seu Nome, pois estaremos imersos no Corpo Místico de Cristo, estaremos em Cristo, com a autoridade de Cristo.

“Os setenta e dois voltaram cheios de alegria dizendo: ‘Senhor, até os demônios se submetem a nós por causa do teu nome’. Jesus respondeu: ‘Eu vi Satanás cair do céu, como um relâmpago. Eu vos dei autoridade para pisar em cobras e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo. Nada vos poderá fazer mal. Contudo, não vos alegreis porque os espíritos se submetem a vós. Alegrai-vos, antes, porque vosso nomes estão inscritos nos céus.” (Lc 10, 17-20)

Aos discípulos, aos que reconhecem Jesus, é dado o poder de “pisar em cobras e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo”. Até os demônios se submetem a autoridade de Jesus, é isso que é usar o nome de Jesus ou, simplesmente o poder do nome de Jesus. É o poder da autoridade de Jesus, autoridade que o próprio Jesus dá aos que estão Nele. E a esses que estão em Cristo, nenhum mal poderá acontecer, pois o seu poder é maior que o poder do inimigo ou de qualquer outra coisa. O poder de quem está totalmente configurado a Cristo é o poder do próprio Deus que age na pessoa.

Bom… e para falar em nome de Jesus, com a autoridade de Jesus, não pode se vangloriar, se achar superior ou achar que ter esse poder é a sua Salvação em si. Não pode achar que é o próprio Deus, o Onipotente. Jesus diz que, antes, é para se alegrar porque o nome está inscrito no céu, ou seja, está em Cristo, vivendo por e para Cristo e busca intimidade para estar sempre com Cristo.

São Paulo, no segundo capítulo da Carta aos Filipenses, nos descreve o que é estar em Cristo:

“Tende entre vós os mesmos sentimentos que havia em Cristo Jesus. Ele, existindo em forma divina, não considerou um privilégio ser igual a Deus, mas esvaziou-se, assumindo a forma de servo e tornando-se semelhante ao ser humano. E encontrado em aspecto humano, humilhou-se, fazendo-se obediente até a morte – e morte de cruz! – Por isso, Deus o exaltou acima de tudo e lhe deu o Nome que está acima de todo nome, para que, ao Nome de Jesus, todo joelho se dobre, no céu, na terra e abaixo da terra, e toda língua confesse: ‘Jesus Cristo é o Senhor’, para a glória de Deus Pai.” (Fl 2, 5-11)

Dar o nome, é dar autoridade, dar uma função, dar um poder. O nome de Jesus está acima de qualquer outro nome. A autoridade de Jesus está acima de toda e qualquer autoridade.

Se o próprio Jesus, o Cristo, o próprio Deus se aniquilou ao ponto de se entregar a morte mais humilhante para a época, o que somos nós para nos exaltarmos por seja lá o que for de maior?

Quem nos exalta é Deus, e nos exalta em Cristo, o nome que está acima de todos os nomes. O poder que recebemos é por causa Dele e por isso devemos fazer tudo por Ele e com Ele, na autoridade de Jesus, a quem todo joelho se dobra mesmo que não se queira reconhecê-Lo como o Senhor.

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate e nos faça reconhecer Jesus e ser dignos de exercer O Poder do Nome de Jesus Cristo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.