Dia 19 – Confiar em Deus e Ser Perseverante no Amor de Cristo

“São Miguel Arcanjo, ajudai-nos a nunca desfalecer diante das forças opressora do inimigo. Lutai conosco no combate contra as forças do mal, e fazei que aumente em nossa vida o reinado de Cristo, nosso Senhor. Amém!”

(Fonte: Quaresma de São Miguel Arcanjo 2020 – Ed. Paulus)

As lutas diárias e constantes nos deixam bastante cansados e não é raro que nos desanimemos em diversas situações. Enquanto estamos no mundo, será dessa forma, mas isso não deve nos desanimar. Ao contrário, devemos cada vez mais nos reconhecer necessitados de Deus que, sabendo disso, sempre vem em nosso socorro se não deixarmos de procurá-Lo.

Precisamos ser pacientes e perseverantes. Pacientes para superarmos as nossas limitações, para reconhece-las e aguardar o momento certo de sermos libertos do que está sendo motivo de nossa prostração. Perseverantes para que nunca deixemos de procurar o Senhor, por mais tempo que isso possa durar, e confiarmos, aumentando e fortalecendo a nossa Fé e exercitando a Esperança. E, se vermos que estamos esmorecendo, olhemos para Jesus que certamente está do nosso lado.

São João no quinto capítulo do seu Evangelho narra a cura de um senhor que sofria a muito tempo de uma paralisia que o impedia de fazer muitas coisas, inclusive de dar o primeiro passo para sair do lugar, pois sempre que começava a andar em direção a sua cura, outros vinham e passagem a sua frente.

Enquanto ele tentava sair daquela situação sozinho outros sempre passavam na sua frente. Se fosse depender dos outros, ficaria sempre ali (como de fato ficou 38 anos). Mas, Jesus vem em seu socorro daqueles que estão se entregando, mas é preciso confiança para fazer o que Ele ordena.

“Encontrava-se ali um homem enfermo havia trinta e oito anos. Jesus o viu ali deitado e, sabendo que estava assim desde muito tempo, perguntou-lhe: ‘Queres ficar curado’? O enfermo respondeu: ‘Senhor, não tenho quem me leve à piscina, quando a água se movimenta. Quando estou chegando, outro desce antes de mim’. Jesus lhe disse: ‘Levanta-te, pega tua maca e anda. No mesmo instante, o homem ficou curado e pegou sua maca e começou a andar”. (Jo 5, 5-9)

O motivo da paralisia do homem era o fato dele esperar uma ação de outro para depois se movimentar, tendo em vista a frustrações de quando tentava sozinho. Temos aí dois problemas que formam um ciclo vicioso. No primeiro, ele estava colocando suas esperanças naqueles que ou não podiam ajudar ou naqueles que também estava necessitados e, por isso, não ajudava. No segundo, que parece um paradoxo com o primeiro, é o fato dele, se frustrando por colocar suas esperanças no lugar errado (pessoas erradas), tentava fazer as coisas sozinho, confiando apenas em si.

Não pode ser nem uma coisa, nem outra. Não podemos ficar esperando que o outro faça o que nos cabe, mas também não podemos querer fazer tudo. Não podemos colocar nossa esperança e nossa força nos outros e nem podemos colocar em nós mesmos.

Devemos colocar toda a nossa confiança, toda a nossa fé, toda a nossa esperança em Deus que nos dará um caminho, que será uma luz. Ele virá em nosso socorro, mesmo se estivermos desesperados, mas é preciso ouvi-Lo e confiar Nele. Se o paralítico não tivesse tomado seu leito e andado, confiando na Palavra de Deus, não teria saído do lugar, não teria realizado o que lhe cabia e continuaria prostrado, paralisado.

Já no tão conhecido episódio de Zaqueu, o chefe dos recebedores de impostos, ou seja, naquela época conhecido publicamente por ser um explorador, se sentiu atraído por Jesus. A sua lamentável situação não o fez desesperar e parar de procurar a sua Salvação (o que te satisfaz, a sua felicidade, o seu equilíbrio, a sua harmonia…).

Zaqueu, reconhecendo sua pequenez (não somente física, mas principalmente moral) foi em busca de Jesus e subiu para superar a sua baixa estatura (física e moral). Inicialmente, poderíamos até dizer que foi por mera curiosidade, mas Jesus conhece o coração de todos nós e viu em Zaqueu uma abertura, uma predisposição para mudar de vida e, assim, tomar a iniciativa de ir além. Zaqueu correspondeu!

“Havia ali um homem chamado Zaqueu, que era chefe dos publicanos e muito rico. Ele procurava ver quem era Jesus, mas não conseguia, por causa da multidão, pois era de baixa estatura. Então ele correu à frente e subiu num sicômoro, para ver Jesus, que devia passar por ali. Quando chegou ao lugar, Jesus olhou para cima e disse: ‘Zaqueu, desce depressa! Hoje eu devo ficar na sua casa’. Ele desceu depressa e o recebeu com alegria. Ao verem isso, todos murmuravam dizendo: ‘Foi hospedar-se na casa de um pecador’! Entretanto, Zaqueu se pôs de pé e disse ao Senhor: ‘Senhor, eu vou dar a metade dos meus bens aos pobres, e se prejudiquei alguém, vou devolver quatro vezes mais’. Jesus disse-lhe: ‘Hoje chegou a salvação a esta casa, pois também este é um filho de Abraão. Com efeito, o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido’.” (Lc 19, 2-10)

Jesus falou a Zaqueu que não somente correspondeu, mas correspondeu depressa. Sendo pequeno, subiu na árvore, fora de sua realidade natural (pequeno), Jesus o chama para a sua altura natural e agiu nele. Zaqueu, assim, reconheceu não só sua pequenez, como aceitou ela e, para reparar o mal que fez por tanto tempo indo contra a sua natureza, colocando-se no lugar que não lhe é devido, prometeu reparar o mal que fez de forma abundante com o bem de forma ainda mais abundante, fazendo um bem muito maior do que o mal que praticou. Assim, a salvação entrou em sua casa, assim ele se libertou daquela situação de querer ser o que não é, de querer ser maior, grande e poderosos, sendo pequeno e frágil na realidade.

Muitas são as nossas lutas diárias. Muitos são os “salvadores” que procuram nos seduzir e, ao invés de melhorar a nossa situação, piora imensamente, nos afundando cada vez mais em nossa miserável condição. Muitos serão seduzidos e, como consequência, sucumbirão fazendo o mal, praticando o mal o tempo inteiro. Os que se oporem ao mal, serão tomados como inimigos, perseguidos e, se possível, até destruídos, até o fim dos tempos.

A grande tentação é achar que Deus nos abandonou (isso se ainda acredita na existência de Deus, se não apostatou completamente) e a caridade se perde, principalmente diante de tanto mal que será desencadeado. E, se formos perseverantes no amor a Deus, na confiança em Deus, confiarmos nas palavras de Jesus, tudo isso passará e seremos salvos.

“Atenção! Que ninguém vos engane! Muitos virão, usando o meu nome e dizendo: ‘O Cristo sou eu’! E enganarão muita gente. Logo ouvireis falar de batalhas e notícias de guerras. Prestai atenção e não vos assusteis, pois é preciso que essas coisas aconteçam, mas ainda não é o fim. De fato, há de se levantar nação contra nação e reino contra reino. Haverá fome de terremotos em vários lugares. Tudo isso é o começo das dores. Então vos entregarão à tribulação e vos matarão. Por causa do meu nome sereis odiados por todas as nações. Então, muitos ficarão escandalizados, trairão uns aos outros e se odiarão mutuamente. Hão de surgir muitos falsos profetas que enganarão muita gente. A iniquidade se espalhará tanto que o amor de muitos esfriará. Quem, porém, perseverar até o fim, esse será salvo.” (Mt 24, 4-13).

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate e nos ajudai a Confiar em Deus e Ser Perseverante no Amor de Cristo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.