Dia 11 – No Caminho da Santidade Sejamos Prudentes e Vigilantes

“São Miguel Arcanjo, ficai presente conosco na difícil batalha espiritual do dia a dia. Somos fracos e pecadores. Nem sempre confiamos plenamente em Deus, e acabamos caindo na tentação do inimigo. Afastai de nós todo o mal, e ajudai-nos a louvar e bendizer as maravilhas do Senhor em nossa vida. Amém!”

(Fonte: Quaresma de São Miguel Arcanjo 2020 – Ed. Paulus)

Agora que já entendemos que Felicidade Verdadeira é Santidade, que buscar a Felicidade é buscar a Santidade e que buscar a Santidade é buscar Jesus, seguindo seus passos. Agora que já fizemos o firme propósito de sermos fiéis às Promessas do Batismo e que ser fiel a essa promessa é necessário para a nossa Salvação, precisamos tomar cuidado para não vermos nosso trabalho escapar entre os nossos dedos.

A batalha para nos mantermos fiéis às nossas Promessas do Batismo e seguir no Caminho da Santidade é constante, diária e, tanto quanto maior for o nosso propósito, quanto mais alto quisermos voar, mais árdua será a nossa batalha diária para seguir o caminho da Santidade.

O inimigo não suporta um único santo na terra. Ele sabe o poder que tem a santidade de arrastar multidões, de encantar e levar muitos para o Céu, ou seja, poder para tirar das garras do leão as almas que têm contato com os santos.

Um único Santo em uma nação pode “puxar” milhões de pessoas para o Céu não somente pelo seu testemunho e exemplo de vida virtuosa que encanta, mas também por suas orações de intercessão. Por isso que o inimigo vem com toda ira, com toda força, para cima dos santos, para fazê-los cair e passar a ser contratestemunho.

Por isso, para seguir no Caminho de Santidade é preciso ser Prudente e Vigilante. É preciso estar atento, se preparar constantemente, se munir dos meios necessários para se manter na via da santidade.

Isso é muito bem exemplificado na Parábola das Virgens Prudentes e Virgens Tolas que esperavam a vinda do noivo, ou seja, que ansiavam a Salvação.

“O Reino dos Céus pode ser comparado a dez virgens que, numa festa de casamento levando suas lâmpadas, saíram para acolher o noivo. Cinco delas eram insensatas e outras cinco eram prudentes. As insensatas levaram suas lamparinas, mas não levaram óleo consigo. As prudentes, porém, além das lamparinas, levaram óleo nas vasilhas. Como o noivo demorasse, todas começaram a cochilar e adormeceram. No meio da noite, ouviu-se um alvoroço: ‘O noivo está chegando. Ide acolhê-lo!’ Então todas se levantaram e prepararam as lamparinas. As insensatas disseram às prudentes: ‘Dai-nos um pouco do vosso óleo, porque nossas lamparinas estão se apagando.’ As prudentes responderam: ‘De modo algum, pois o óleo pode ser insuficiente para nós e para vós. É melhor irdes comprar dos vendedores.’ Enquanto elas foram comprar óleo, o noivo chegou, e as que estavam preparadas entraram com ele para a festa do casamento. E a porta se fechou. […] Vigiai, portanto, pois não sabeis o dia, nem a hora” (Mt 25, 1-10. 13).

Todas as dez virgens tinham o propósito de santidade. Todas queriam se encontrar com o esposo (obter a Salvação). Podemos dizer, inclusive, que todas, de certo modo, vacilaram na vigilância e dormiram. Porém, cinco delas foram mais cuidadosas, se prepararam melhor, foram mais atentas, se precaveram mais. Um “vacilo” das cinco virgens tolas e elas perderam a Felicidade Verdadeira, a Salvação.

“Vigiai, portanto, pois não sabeis o dia, nem a hora” foi o conselho de Jesus quando contou esta Parábola Escatológica. E Ele repete esse conselho perto de sua Paixão, no Horto das Oliveiras, com seus discípulos mais íntimos, num momento de angústia e que pediu para eles vigiarem com Ele, em Sua presença.

“Vigiai e orai, para não caírdes em tentação”, ou seja, para que não corra o risco de perder-se, de desesperar-se, pois “o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26,41), ou seja, sua vontade é legítima, seu propósito é sincero, mas suas paixões e necessidades mundanas são bem fortes e perigosas para sua carne que é fraca.

A vigilância é tão importante que ela sempre é mencionada para quem está no Caminho da Santidade. São Pedro em sua Primeira Carta conclui exatamente falando dela e como o diabo ronda os que estão buscando e evoluindo no Caminho da Santidade.

“Humilhai-vos, pois, sob a poderosa mão de Deus, para que, na hora oportuna, ele vos exalte. Lançai sobre ele toda a vossa preocupação, pois ele cuida de vós. Sede sóbrios e vigiai. O vosso adversário, o diabo, vos rodeia como um leão a rugir, procurando a quem devorar. Resisti-lhe, firmes na fé, certos de que iguais sofrimentos atingem também os vossos irmãos pelo mundo. Depois de terdes sofrido um pouco, o Deus de toda a graça, que vos chamou para a sua glória eterna, no Cristo Jesus, vos aperfeiçoará, vos confirmará, vos fortalecerá e vos estabelecerá. A ele pertence o domínio, pelos séculos dos séculos. Amém.” (1Pe 5, 6-11)

Como pudemos ver acima, as batalhas de quem está no Caminho da Santidade são diárias e é preciso padecer um pouco para, fortificados em Cristo, sermos exaltados definitivamente.

A humildade é uma das armas mais poderosas contra o diabo que ronda: “Deus resiste aos soberbos, mas concede sua graça aos humildes” (1Pe 5, 5). O diabo é vaidoso, é a própria vaidade. Quem se contrapõe ao diabo é Jesus, o Manso e Humilde de Coração, a própria Humildade. Por isso que São Pedro aconselha humilhar-se e colocar-se debaixo da mão poderosa de Deus e confiar Nele. Confiança essa que gera em nós a sobriedade, a calma, a sensatez. Confiança que nos faz progredir na Fé e exercita nosso olhar para a eternidade, para vermos as coisas com o olhar de Deus. Assim começamos, inclusive, a olhar para os padecimentos do próximo que acaba nos servindo para aumentar nossa esperança, nossa caridade e nos consola um pouco.

O prêmio depois do padecimento, ou seja, depois de resistirmos às tentações, resistirmos às investidas do maligno, depois de morrermos para nós mesmo nos humilhando e nos entregando, confiando, inteiramente a Deus, o próprio Senhor nos fortificará, nos aperfeiçoará, nos tornará inabaláveis e vencedores.

Seremos vencedores por estarmos com Ele no Céu, gozando da Felicidade Verdadeira, perfeitos como o Cristo é perfeito, pois estaremos inteiramente Nele.

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate diário para perseverarmos no Caminho da Santidade sendo Prudentes e Vigilantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.