Dia 10 – O Caminho da Felicidade Verdadeira: Abandonar Tudo Para Seguir Jesus

“São Miguel Arcanjo, vós que encontraste alegria perfeita junto de Deus, ensinai-nos o caminho que devemos trilhar; fazei que aprendamos a nos alegrar sempre no Senhor; afastai de nós a tristeza do inimigo, que insiste em nos tentar. Assim, seremos eternamente felizes no céu. Amém!”

(Fonte: Quaresma de São Miguel Arcanjo 2020 – Ed. Paulus)

Todos nós, sem exceção, vivemos em busca da felicidade. Praticamente tudo que buscamos fazer tem esse propósito: Ser Feliz.

Até as pessoas que acabam se fazendo mal, entrando em vícios, se machucando e até mesmo tentando fugir definitivamente da vida, faz com o propósito final de encontrar a Felicidade ou acabar com o sofrimento que, na concepção dessas pessoas, é a mesma coisa que “ser feliz”.

O grande problema é que na maioria esmagadora das vezes a gente busca a Felicidade no lugar errado, nas coisas erradas. Confundimos boas sensações com Felicidade. Confundimos a falta de sofrimento com “ser feliz”. Perceber essa confusão é fácil, é só reparar como a vida de penitência causa repugnância em praticamente todo mundo. Ficamos extremamente confusos ao vermos o sofrimento dos santos, como Santa Teresinha do Menino Jesus ou São Padre Pio, e a felicidade deles mesmo com tanto sofrimento físico.

Ficamos espantados como os mártires iam com satisfação e convicção para o martírio e suportavam dores extremas, desumanas, torturas inimagináveis, com grande resignação.

Hoje todos eles gozam da Felicidade Verdadeira, a Felicidade Eterna. Nós cremos nisso, que os santos já gozam da Glória de Deus, sem sofrimentos mundanos, que é atestado pela Santa Igreja Católica.

Ser Santo é gozar da Felicidade Verdadeira, então podemos concluir que, para nós católicos, buscar a Felicidade é buscar a Santidade. Trilhar o caminho da Felicidade é trilhar o caminho da Santidade. Buscar a Santidade nada mais é que buscar Jesus. Trilhar o caminho da Santidade é trilhar os passos de Jesus, é seguir Jesus.

Jesus, desde o início de sua vida pública chama a todos a segui-Lo. E é impressionante como todos que têm uma experiência com Jesus se encanta chegando ao ponto de deixar tudo para seguir Jesus.

“Vendo Jesus passar, ele disse: ‘Eis o cordeiro de Deus’! Os dois discípulos ouviram-no dizer isso, e seguiram Jesus. Jesus voltou-se para trás e, vendo que eles o seguiam, perguntou-lhes: ‘Que procurais’? Eles responderam: ‘Rabi – que quer dizer Mestre – onde moras’? Ele disse: ‘Vinde e vereis’! Foram, e viram onde morava, e permaneceram com ele aquele dia. Era por volta da hora décima.” (Jo 1, 35-39).

Notamos que o primeiro passos dos discípulos foi buscar, seguir Jesus. Jesus não deixa ninguém que o busca para trás, ao contrário, chama-o para a intimidade (para onde mora).

O passo seguinte, ao conhecer Jesus, ao ter uma experiência com Ele, é o entusiasmo de conseguir mais seguidores para Jesus.

“André, irmãos de Simão Pedro, era um dos dois que tinham ouvido a declaração de João e havia seguido Jesus. Ele foi encontrar primeiro seu irmão, Simão, e lhe falou: ‘Encontramos o Messias’, que quer dizer Cristo. Então conduziu-o até Jesus. Olhando para ele, Jesus lhe disse: ‘Tu és Simão, filho de João. Tu te chamarás Cefas’, que quer dizer Pedro”. (Jo 1, 40-42).

Note que André começou a pregar sobre Jesus primeiro para o mais próximo (seu irmão) e que busca o Messias, o Salvador, Jesus, a Felicidade. Nota-se também que Ele já conhece seus discípulos no mais íntimo do ser, conhece o coração de cada um de nós, e sabe que vamos mudar de vida. Mudar de nome é ter vida nova, é mudar de vida, é converter-se. No chamado a Pedro, Jesus muda seu nome.

Jesus por onde passa encanta e convida cada um de nós, diretamente.

“No dia seguinte, Jesus decidiu partir para a Galileia. Encontrando Filipe, disse-lhe: ‘Segue-me!’ Filipe era de Betsaida, cidade de André e Pedro. Filipe foi encontrar Natanael e disse-lhe: ‘Encontramos Jesus, o filho de José, de Nazaré, aquele sobre quem escreveram Moises, na Lei, e os Profetas’. Natanael perguntou: ‘De Nazaré pode sair algo de bom?’ Filipe respondeu: ‘Vinde e vê’! Jesus viu Natanael vindo a ele, e declarou: ‘Este é um verdadeiro israelita, no qual não há falsidade’! Natanael disse-lhe: ‘De onde me conhece’? Jesus respondeu: ‘Antes que Filipe te chamasse, quando estava debaixo da figueira, eu te vi’. Natanael exclamou: ‘Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel!’ Jesus respondeu: ‘Crês porque disse que te vi debaixo da figueira? Verás coisas maiores do que essas’. E acrescentou: ‘Em verdade, em verdade te digo: vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem.” (Jo 1, 43-51).

Filipe, assim como André, teve o impulso que sempre se tem quando tem uma experiência com Jesus: Foi apresentar Jesus aos demais, começando com aquele que é próximo e que já busca a Felicidade Verdadeira.

Nem sempre a recepção quando apresentamos Jesus é muito positiva. E, não raro, o convidado recebe Jesus com certo preconceito, com certo ceticismo, como foi o caso de Natanael. Mas, como disse, Jesus conhece o coração dos seus e tocou no ponto que conquistou Natanael logo na primeira palavra, antes mesmo de Natanael se dirigir a Ele, revelando coisas que somente Ele e o próprio Natanael sabiam.

Jesus não chama somente os “puros”, os que têm vida virtuosa, os Santos. Jesus chama a todos nós, mesmo com nossos pecados, com nossas feridas as quais Ele deseja curar. Mas, atenção! É preciso se abrir para o chamado de Jesus, é preciso dar o passo de segui-Lo! Como fez São Mateus, um cobrador de impostos, um pecador público, mas que tinha no coração a abertura para a conversão.

“Depois disso, Jesus saiu e viu um publicano, chamado Levi, sentado num posto de arrecadação. Disse-lhe: ‘Segue-me’/. Ele, deixando tudo, levantou-se e o seguiu. Depois Levi preparou-lhe um grande banquete em sua casa. Lá estava um grande número de publicanos e de outras pessoas, sentadas à mesa com eles. Os fariseus e seus escribas murmuravam contra os discípulos de Jesus dizendo: ‘Por que comeis e bebeis com os publicanos e os pecadores?’ Jesus respondeu: ‘Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas os doentes. Não vim chamar os justos, mas pecadores ao arrependimento’.” (Lc 5 27-32).

Mateus (Levi), assim como os dois discípulos já citados, também foi apresentar Jesus aos demais e, de forma abundante, promovendo um banquete! Podemos concluir disso que, quanto mais pecador arrependido que busca a conversão, mais entusiasmo se tem? Jesus, no episódio da pecadora responde que sim: “Por isso te digo: os muitos pecados que ela cometeu estão perdoados, pois ela mostrou muito amor. Aquele, porém, a quem pouco se perdoa, pouco ama.” (Lc 7, 47).

Por fim, temos o episódio do Jovem Rico, que também buscou o Mestre, buscou a Felicidade Verdadeira, mas teve uma resposta diferente ao chamado de Jesus:

“Alguém aproximou-se de Jesus e disse: ‘Mestre, que devo fazer de bom para ter a vida eterna?’ ‘Ele respondeu: […] Se queres entrar na vida, observa os mandamentos’. […] O jovem disse-lhe: ‘Tudo isso tenho observado. Que me falta ainda?’ Jesus respondeu: ‘Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois vem e segue-me’.  Quando ouviu essas palavras, o jovem foi embora, cheio de tristeza, porque possuía muitos bens”. (Mt 19, 16. 17.20-22).

O jovem buscava a felicidade, mas era apegado demais aos seus bens e, por causa deles, rejeitou a felicidade que tanto buscava. Preferiu os bens terrenos, as alegrias mundanas, do que a Felicidade Verdadeira. Repare ainda que Jesus convida na medida que a pessoa se predispõe: Primeiro o jovem perguntou sobre a Salvação e Jesus lhes disse o que precisava ser feito para ser salvo. O jovem já observava e queria mais, tinha mais sede, queria se saciar, era chamado à perfeição. Jesus então deu um passo adiante e, infelizmente, o jovem deu para trás e saiu cheio de tristeza, sem a Felicidade Verdadeira que buscava.

Os santos deixaram tudo para seguir Jesus. Se desapegaram de tudo, pois só assim é possível seguir a Felicidade. No episódio do Jovem Rico, o jovem buscava a Felicidade e era bem virtuoso, ele buscava a santidade, tanto que perguntou a Jesus sobre a eternidade. Mas, faltava a ele o desapego. Jesus o amou na sua vida virtuosa, mas Jesus sempre quer mais de nós, pois nos ama e quanto maior o pedido Dele, maior o amor por nós. Esse amor vai progredindo na medida que vamos abandonando as coisas terrenas e nos determinando a segui-Lo. E o encanto é tanto que, se não fizermos o que Ele pede, a tristeza toma conta, como ocorreu com o Jovem Rico que não quis deixar seus bens e seguir Jesus mais intimamente, como fez os apóstolos.

O jovem rejeitou a perfeição. Rejeitou a Santidade. Rejeitou a Felicidade Verdadeira.

Jesus chama a todos nós. E quanto mais nos entregamos a Ele, quanto mais nos despojamos do mundo por causa Dele, mais felizes seremos.

“E todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou campos, por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e terá como herança a vida eterna” (Mt 19, 29).

Não é fácil, mas a Felicidade é garantida e abundante. Deus sabe das nossas fraquezas e limitações, e por isso nos deu tantos meios para trilharmos o caminho da santidade, da perfeição, da Felicidade Verdadeira: os sacramentos, os milagres, exemplos dos Santos, os anjos… Enfim, todos os meios para trilharmos seus passos Ele nos deu (inclusive a Si próprio, na Eucaristia).

Só precisamos fazer uma coisa: Ter o propósito de ser Feliz, ou seja, ser Santo e ser fiel a este propósito.

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate e nos guie no Caminho da Felicidade Verdadeira e nos ajude a Abandonar Tudo Para Seguir Jesus.

One thought on “Dia 10 – O Caminho da Felicidade Verdadeira: Abandonar Tudo Para Seguir Jesus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *