A Vida na Espiritualidade Mariana em Oposição à Vida Mundana

“Não ajunteis para vós tesouros na terra,
onde a ferrugem e as traças corroem,
onde os ladrões furtam e roubam.
Ajuntai para vós tesouros no céu,
onde não os consomem nem as traças nem a ferrugem,
e os ladrões não furtam nem roubam.
Porque onde está o teu tesouro,
lá também está teu coração.” (Mt 6, 19-21).

Vimos até aqui o contraste entre os Mandamentos do Mundo e as Máximas de Jesus. Como eles são inconciliáveis! Ter uma vida mundana é não somente seguir os Mandamentos do Mundo, mas também ter uma espiritualidade mundana, uma mentalidade mundana, voltada para as coisas do mundo. É também colocarmos nossa razão de viver, nossos objetivos, nosso coração, nossa esperança nas coisas passageiras do mundo.

Ao contrário, ter uma VIDA NA ESPIRITUALIDADE MARIANA é seguir os passos de Maria, é olhar para tudo com um olhar semelhante a como Nossa Senhora via, experimentava e vivia no mundo. A razão de existir de Maria é Cristo, é Deus. Nada ela faz senão na vontade de Deus e para Ele. Ter uma Espiritualidade Mariana é seguir a risca as Máximas de Jesus Cristo, totalmente abandonados Nele. É viver olhando para a Eternidade, colocando nossa razão de viver, nossos objetivos, nosso coração, nossa esperança nas coisas eternas, é fitar somente o Céu e todos os nossos passos são dados olhando para lá, indo em direção a Jesus no Paraíso.

VOCÊ ADORA O QUE É PASSAGEIRO OU O QUE É ETERNO?

Não é preciso refletir muito para notar como tudo no mundo é passageiro e como isto nos angustia, nos causa preocupação, nos deixa ansiosos e com medo de perder o que somos apegados. Assim, podemos afirmar com toda certeza que tudo que é mundano vai fatalmente nos frustrar.

A frustração ocorre quando as nossas expectativas não são atendidas, quando as coisas não são como achamos que deveria ser ou quando não nos satisfaz. A frustração ocorre também quando perdemos algo que depositamos confiança, afeto e/ou esperança. O sentimento de perda é, na verdade, fruto da frustração. Então, repito, se tudo no mundo é passageiro, tudo no mundo vai nos frustrar, nos decepcionar.

Cristo veio ao mundo para nos libertar, para nos revelar o Céu, e abri-lo para nós. Ele veio para nos revelar a plenitude, a Verdade, a (verdadeira) Felicidade, a Eternidade e os meios de alcançarmos ela que é ele próprio: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim(Jo 14,6).

Então, seguir as Máximas de Jesus Cristo, é seguir para a Eternidade, olhar para Cristo, é colocar como objetivo a Eternidade. Ser voltado para a Eternidade, ADORAR O QUE É ETERNO É COLOCARMOS NOSSA RAZÃO DE VIVER, NOSSOS OBJETIVOS, NOSSO CORAÇÃO, NOSSA ESPERANÇA EM JESUS CRISTO. E isso também podemos afirmar categoricamente que É TER UMA ESPIRITUALIDADE MARIANA.

ESTAMOS DEGRADANDO OU EXALTANDO O NOSSO SER?

Onde colocamos nossas expectativas, nossa esperança, buscamos conservá-la e fazemos tudo o que for possível para alcança-la. Nós acabamos nos adaptando, nos moldando, nos transformando para estar de acordo com aquilo que amamos ou colocamos nosso coração. Se colocamos o nosso coração nas coisas do mundo, nas coisas passageiras, nas coisas corruptíveis, vamos acabar corrompendo o nosso coração, vamos torna-lo passageiro, vamos objetificá-lo.

Repare como está cada vez mais evidente que as relações humanas estão passageiras, descartáveis, objetificadas. Não estamos degradando apenas o nosso ser, mas também olhando para as pessoas (que foram feitas para a eternidade) como descartáveis, como se não tivessem uma alma eterna. Sim, esta vida é passageira, o estarmos no mundo é passageiro, mas existe uma eternidade para a qual todos nós fomos feitos e somos convidados a retornarmos.

A partir do momento que transformamos nosso semelhante (que é igual a nós em natureza e dignidade) em um ser passageiro, no sentido de descartável, como se não tivesse uma alma eterna, também estamos degradando o nosso ser. E, já que tudo é passageiro, pensa-se, é preciso aproveitar o tempo que resta ao máximo, caindo nos prazeres pecaminosos do mundo, e esquecemos que, por sermos feitos para o que é Eterno, tudo em nossa vida deixa marcas, cicatrizes, traumas, geralmente através das frustrações. Assim, acabamos nos entregando a vida de pecado, nos insensibilizando para o que é mal e cada vez mais nos afundamos numa degradação que nos corrói e nos lança num ciclo vicioso.

Ao nos consagrarmos a Nossa Senhora, fazemos o propósito de romper com tudo isso, fazemos o propósito de reordenar nossos valores, de dar novamente a dignidade as pessoas e a nós mesmos, pois começamos a olhar para a eternidade, também, principalmente, começamos a nos abrir para a ação da graça.

TER A VIDA CHEIA DE TÉDIO E TORMENTO OU VIVER NA DOÇURA DA PAZ

Repito, mais uma vez: nosso coração foi feito para a eternidade. Assim, vamos buscar a eternidade em tudo e quando esse “tudo” é passageiro estamos fadados a nos frustrar constantemente.

Por isso, é importante sempre olharmos e buscarmos as coisas eternas seguindo as Máximas de Jesus Cristo. Isso nos dará uma paz imensa e nossa vida certamente ficará mais doce. Até as amarguras inerentes a nossa vida ganham um propósito e se tornam mais doces.

Precisamos ordenar nosso olhar. Dar “status” de eterno ao que de fato é eterno e de passageiro ao que é passageiro. Voltando a tomar como exemplo as pessoas, precisamos ter em mente que o corpo da pessoa é passageiro e se degrada com o tempo, mas sua alma é eterna e o Espírito Santo pode (e vai) transformá-la na medida que o acolhimento a Graça vá acontecendo.

Uma vida mariana é uma vida que busca ordenar as coisas segundo as Máximas de Jesus Cristo, já faladas anteriormente. Assim, em vez de vivermos nos frustrando, insatisfeitos, insaciáveis, vamos colocar as nossas expectativas no que é correto, no que é eterno, vamos buscar o que de fato nos satisfaz e nos preenche verdadeiramente: Deus!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.