As Máximas de Jesus: Libertação do Espírito

“Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia!
Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus!
Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus!
Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus!
Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem,
quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim.
Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus,
pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós”. (Mt 5, 7-12).

Hoje em dia é bastante difícil conseguir viver uma vida espiritual. Tudo no mundo busca nos arrastar para o material, o corporal, o físico, o que chamam de “concreto”. Seguir as Máximas de Jesus é buscar a libertação do espírito, quebrar todas as amarras que nos prendem excessivamente ao mundo e nos impede de voar para Deus.

Quem segue Jesus acaba sofrendo algum tipo de perseguição, seja ela moral ou física. Jesus nos alertou quanto a isso (“Se me perseguiram, perseguirão também a vós”, Jo 15,20), nos alertou das dificuldades que teremos em encontrar repouso ao segui-Lo (“As raposas têm tocas e os pássaros do céu têm ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça”, Mt 8,20), mas nos oferece a Si próprio como nosso alento, como nosso porto de descanso (“Vinde a mim, todos os que estais cansados e carregados de fardos, e eu vos darei descanso”, Mt 11, 28).

Para muito além disso, Jesus ainda nos ensina como libertar nosso espírito, como obter conforto e alimentar nossas virtudes: ser puro de coração, ser misericordioso e pacífico e suportar com paciência as perseguições.

BEM AVENTURADOS OS QUE SÃO PURO DE CORAÇÃO

Creio que todos concordem que é muito difícil (praticamente impossível) manter o coração puro, mesmo os mais isolados do mundo. Contudo, a forma como lidamos com essa dificuldade é crucial para sermos livres ou escravos do mundo e de nós mesmo, quando nos fazemos mundanos.

Para o mundo, é impossível ser puro. Para quem segue as Máximas de Jesus, a pureza não só é possível, mas necessária para vermos Deus face a face na Eternidade. Mas, só podemos ser puros por obra da Graça de Deus. De fato, é impossível estar no mundo e não precisar ser purificado. O agente purificador é o Espírito Santo, aquele que faz nova todas as coisas. Aquele que nos move para o bem, aquele que nos pega pelas orelhas e nos pela ao confessionário para recebermos, através do sacramento, o perdão, a purificação dos nossos pecados.

O mundo vai tentar nos sujar de todos os meios e vai nos dar inúmeras justificativas para não ficarmos “paranoicos” com isso. Principalmente através de uma pseudo-ciência que procura muito mais por justificativas para aliviar nossas dores (físicas e psicológicas) do que buscar o que de fato é verdadeiro, o que de fato nos liberta, o que de fato pode nos curar.

BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS E OS QUE PROMOVEM A PAZ

Estamos em um mundo que vive em constante conflito. Se já não bastassem os conflitos naturais e existenciais, os conflitos para acolhermos as Máximas de Jesus Cristo e chegar a Felicidade Verdadeira, ainda buzinam o tempo inteiro em nossos ouvidos que “é preciso lutar constantemente pelos nossos direitos” e por uma “justiça social” que, não é a verdadeira justiça social, mas uma falsa justiça pautada na inveja e ambição.

Ser misericordioso é abrir mão de uma justa sentença em favor de um bem do próximo ou para promover a paz. Por exemplo, por questão de justiça todos nós estaríamos perdidos, no inferno. Traímos Deus desde os primeiros instantes da nossa existência (a desobediência de Adão e Eva), continuamos traindo e quebrando alianças com Deus (vide todo o Antigo Testamento), chegamos ao ponto de matarmos o Amor que se fez carne, o próprio Deus que se fez homem e fez tantos milagres (sinais) que saltavam aos olhos para nos fazer crer e, não satisfeitos, depois de sabermos da libertação que Cristo nos deu com a sua Paixão, Morte e Ressurreição, ainda continuamos a trair e a ofender a Deus, até mesmo no acesso aos sacramentos que são meios eficazes de santificação. Quem nunca cometeu um “pecadinho” sabendo que depois poderia se confessar? Muito poucos…

Isso tudo eu disse para mostrar como Deus é paciente conosco e como nos oferece o tempo inteiro a Sua Divina Misericórdia. Isso, claro, também para nos ensinar e mostrar o porquê de devermos ser acolhedores, pacíficos, perdoar, esquecer as ofensas que recebemos, tentar compreender o próximo, reconhecer as fraquezas (suas e do próximo) – tudo motivo para conflitos e até guerras – e assim amarmos uns aos outros como Cristo nos ama.

BEM AVENTURADOS OS PERSEGUIDOS

Diante de tudo que foi exposto, não é difícil entender o porquê das perseguições que os mundanos realizam aos que buscam seguir as Máximas de Jesus Cristo. Vale destacar que ser perseguido não é somente sofrer ações físicas, mas existem muitas outras formas, algumas mais sutis. Tentar retirar símbolos religiosos de repartições públicas, dificultar o acesso de religiosos na política, doutrinar crianças e jovens com propósitos anticristãos, impedir estudos acadêmicos com temáticas e vieses cristãos, impedir que seja pregada a palavra de Deus como ela é por ferir o politicamente correto… enfim, são inúmeras perseguições que hoje estamos vendo em nosso próprio país, o Brasil, que foi fundado CATÓLICO, debaixo da Cruz de Cristo, tendo sua primeira Missa realizada pouquíssimo tempo depois de a Ordem de Cristo ter colocado os pés por aqui.

Ser perseguidos por causa dos valores cristãos é certo, porque eles expõem as feridas mais dolorosas das pessoas, derruba as máscaras dos hipócritas, apresenta o quanto são cruéis e desumanos os valores mundanos. Por isso Cristo concluiu seu Sermão da Montanha dizendo “Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim” e nos dá a esperança da verdadeira recompensa “Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós”.

BEM AVENTURADOS OS QUE SE FAZEM ESCRAVOS DE NOSSA SENHORA

Para concluir, permita-me um pouco de ousadia em afirmar que são bem aventurados os consagrados a Maria, os que se fazem escravos da Santíssima, os que tomam Maria como sua Senhora.

Maria, como “escrava do Senhor” (cf Lc 2, 38), faz dos seus escravos de amor também escravos de Deus. Temos apenas duas escolhas: ou somos escravos de Deus ou somos escravos do mundo. Essa é a realidade. Deus, nos dá a liberdade. O mundo nos escraviza. Infelizmente, muitos usam da liberdade que Deus nos dá para se deixarem escravizar pelo mundo.

Nos fazendo escravos de Maria Santíssima, ela nos toma como seus filhos. A gente entregando tudo a Nossa Senhora, Ela vê em nós a figura do seu Filho e vem em nosso socorro e consolo. Quando nos consagramos a Maria, entregamos todo o nosso ser a Ela, inclusive nossos valores satisfatórios e impetratórios das boas ações, deixando tudo em suas mãos para que ela possa “aplicar” como bem entender. E, temos a CERTEZA: Maria aplica para a maior glória de Deus e para a salvação do maior número possível de almas, inclusive a nossa.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.