CONSAGRAÇÃO: Práticas Particulares Desta Devoção (Práticas Exteriores)

“Se bem que o essencial desta devoção consista no interior, ela conta também práticas exteriores que e preciso não negligenciar; tanto porque as práticas exteriores bem-feitas ajudam as interiores, como porque relembram ao homem, que se conduz sempre pelos sentidos, o que fez ou deve fazer; também porque são próprias para edificar o próximo que as vê, o que já não acontece com as práticas puramente interiores. Nenhum mundano, portanto, critique, nem meta o nariz, dizendo que a verdadeira devoção está no coração, que é preciso evitar exterioridade, que nisto pode haver vaidade, que é preferível ocultar cada um sua devoção, etc… […] Não quer dizer isso, como observa São Gregório, que devamos fazer nossas ações e devoções exteriores para agradar aos homens e daí tirar louvores, o que seria vaidade; mas fazê-las às vezes diante dos homens, com o fito de agradar a Deus e glorifica-lo, sem nos preocupar com o desprezo ou os louvores dos homens.

Consagração Depois de Exercícios Preparatórios

Aqueles e aquelas que quiserem adotar esta devoção, […] depois de ter […] empregado ao menos doze dias em desapegar-se do espírito do mundo, contrário ao de Jesus Cristo, dedicarão três semanas a encher-se de Jesus Cristo por intermédio da Santíssima Virgem.

Durante a primeira semana aplicarão todas as suas orações e atos de piedade para pedir o conhecimento de si mesmo e a contrição por seus pecados. […] Durante a segunda semana, aplicar-se-ão em todas as suas orações e obras cotidianas, em conhecer a Santíssima Virgem. Implorarão este conhecimento ao Espírito Santo. […] A terceira semana será empregada em conhecer Jesus Cristo.

[…]

Ao fim destas três semanas, confessar-se-ão e comungarão na intenção de se darem a Jesus Cristo na condição de escravos por amor, pelas mãos de Maria. E depois da comunhão […] recitarão a fórmula de consagração.

[…]

Nesse dia, será bom renderem algum tributo a Jesus Cristo e a sua Mãe Santíssima, seja em penitência de sua infidelidade passada às promessas do batismo, seja em sinal de sua dependência do domínio de Jesus e Maria. Ora, esse tributo será conforme a devoção e capacidade de cada um.

[…]

Recitação da Coroinha da Santíssima Virgem

Recitarão todos os dias de sua vida, sem, entretanto, nenhum constrangimento, a coroinha da Santíssima Virgem, composta de três Pai-nossos e doze Ave-Marias, em honra dos doze privilégios e grandezas da Santíssima Virgem.

[…]

Usar Pequenas Cadeias de Ferro

É muito louvável, glorioso e útil àqueles e àquelas, que assim demonstrarão ser escravos de Jesus em Maria, trazer, como sinal de sua amorosa escravidão, pequenas cadeias de ferro, bentas com uma bênção especial.

[…]

Não posso esquivar-me de louvar aqueles e aquelas que, depois de terem rompido as cadeias vergonhosas da escravidão do demônio, a que os tinha arrastado o pecado original, e talvez os pecados atuais, se entregaram voluntariamente à gloriosa escravidão de Jesus Cristo e com São Paulo se gloriam de estar acorrentados por Jesus Cristo (cf. Ef 3,1), com correntes que, embora de ferro e sem brilho, são mais gloriosas e mais preciosas que todos os colares de ouro dos imperadores.

[…]

São essas cadeias de Jesus Cristo o distintivo mais ilustre, pois elas nos livram e preservam dos liames vergonhosos do pecado e do demônio; elas nos restituem a liberdade e nos ligam a Jesus e Maria. […] A morte, destruindo-lhes embora o corpo e reduzindo-o à podridão, não destruirá as algemas de sua escravidão, as quais, por serem de ferro, não se corrompem tão facilmente. […] Felizes, portanto, mil vezes felizes os escravos ilustres de Jesus em Maria, que até o túmulo usarem essas cadeias!

Eis os motivos por que se usam estas cadeiazinhas:

1. Relembram ao cristão os votos e compromissos do batismo, a renovação perfeita das promessas batismais que ele fez por esta devoção, e a estrita obrigação em que está de se conservar fiel. […] Estas pequenas cadeias servem para lembrar ao cristão aquelas cadeias do pecado e da escravidão do demônio, de que o santo batismo o livrou, e a dependência que, neste sacramento, votou a Jesus Cristo, e a ratificação dessa dependência, feita ao renovar seus votos.

2. Mostra que ele não se envergonha de ser escravo e servo de Jesus Cristo, e que renunciou à escravidão funesta do mundo, do pecado e do demônio.

3. Garantem-no e preservam-no dos grilhões do pecado e dos demônios, pois, ou estaremos agrilhoados pelas correntes do inimigo, ou estaremos as cadeias da caridade e da salvação.

[…]

Suas cadeias são cadeias de salvação. Jesus pendente da cruz deve atrair tudo a si, e tudo, de bom ou de mau grado, será atraído. Do mesmo modo ele atrairá os réprobos pelas correntes de seus pecados, para acorrenta-los, como forçados e demônios, à sua ira eterna e à sua justiça vingadora. Nos últimos tempos, porém, atrairá especialmente os predestinados, pelas cadeias da caridade.

[…]

Devoção Especial ao Mistério da Encarnação

Terão uma devoção especial pelo mistério da Encarnação do Verbo, que é o mistério adequado a esta devoção, pois que esta devoção foi inspirada pelo Espírito Santo: 1º para honrar e imitar a dependência em que deus Filho quis estar de Maria, para a glória de Deus seu Pai e para a nossa salvação; 2º para agradecer a Deus as graças incomparáveis que concedeu a Maria, principalmente por tê-la escolhido para sua Mãe digníssima, escolha feita neste mistério.

[…]

O principal mistério que se celebra e honra nesta devoção é o mistério da Encarnação, no qual só se pode contemplar Jesus em Maria, e encarnado em seu seio. […] Jesus é tudo em Maria e Maria é tudo em Jesus; ou, melhor, ela já não existe, mas Jesus somente nela, e antes se separaria do sol a luz, do que apartar Maria de Jesus.

[…]

Foi neste mistério que Ele operou todos os mistérios subsequentes de sua vida. […] Este mistério é, enfim, o trono da misericórdia, da liberdade e da glória de Deus. O trono da misericórdia de Deus, porque, já que não podemos aproximar-nos de Jesus senão por Maria, não podemos ver Jesus nem falar senão por intermédio de Maria. […] É o trono de sua liberdade para Maria, porque este novo Adão, enquanto permaneceu nesse verdadeiro paraíso terrestre, aí realizou ocultamente tantas maravilhas que nem os anjos nem os homens as compreendem. […] É o trono de sua glória para seu Pai, pois foi em Maria que Jesus Cristo acalmou perfeitamente seu Pai irritado contra os homens; que Ele recuperou perfeitamente a glória que o pecado lhe tinha arrebatado, e que, pelo sacrifício, que neste mistério fez de sua vontade e de si mesmo, lhe deu mais glória como jamais lhe deram todos os sacrifícios da antiga lei, e, finalmente, lhe deu glória infinita como ainda não recebera de criatura humana.

Grande Devoção à Ave-Maria e ao Terço

Terão grande devoção ao recitar a Ave-Maria, ou a Saudação Angélica, da qual bem poucos cristãos, mesmo esclarecidos, conhecem o valor, mérito, a excelência e a necessidade. […] [Grandes Santos] Altamente publicaram e pregaram que a salvação do mundo começou pela Ave-Maria, e a salvação de cada um em particular está ligada a esta prece; que foi esta prece que trouxe à terra seca e árida o fruto da vida, e que é esta mesma prece que deve fazer germinar em nossa alma a palavra de Deus e produzir o fruto da vida, Jesus Cristo.

[…]

Sempre se verificou que aqueles que trazem o sinal de condenação, como os hereges, os ímpios, os orgulhosos e os mundanos, odeiam e desprezam a Ave-Maria e o terço. […] Tem-se visto e a experiência o prova que aqueles que possuem outros e grandes indícios de predestinação, amam, apreciam e recitam com prazer a Ave-Maria.

[…]

A Ave-Maria é a mais bela de todas as orações, depois do Pai-nosso. É a saudação mais perfeita que podeis fazer a Maria, pois é a saudação que o Altíssimo indicou a um arcanjo, para ganhar o coração da Virgem de Nazaré. […] É por esta saudação que também vós ganhareis infalivelmente seu coração, contanto que a digais como deveis.

A Ave-Maria, rezada com devoção, atenção e modéstia, é, como dizem os santos, o inimigo do demônio, pondo-o logo em fuga, e o martelo que o esmaga; a santificação da alma, a alegria dos anjos. […] A Ave-Maria é um orvalho celeste que torna a alma fecunda; é um beijo casto e amoroso que se dá em Maria, é uma rosa vermelha que se lhe apresenta.

[…]

Recitação do Magnificat

Para agradecer a deus pelas graças que concedeu à Santíssima Virgem, dirão frequentemente o Magnificat. […] É a única oração e a única obra composta por Maria, ou, melhor, que Jesus fez por meio dela, pois Ele fala pela boca de sua Mãe Santíssima.

[…]

O Desprezo Pelo Mundo

Os fiéis servos de Maria devem desprezar, odiar e fugir ao mundo corrompido, e servir-se das práticas de desprezo pelo mundo.”

Related Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *